Conecte-se conosco

Esportes

Entenda os problemas defensivos que fizeram o Remo perder para o São Bernardo, na Série C

Publicado

A torcida azulina tomou um susto nesta quinta-feira (6). Com bons números – e desempenho – na temporada 2023, o Remo teve pela frente, na primeira rodada da Série C, o adversário mais organizado do ano: o São Bernardo. O Tigre do ABC dominou o Leão no estádio Primeiro de Maio e não teve dificuldades para sair de campo com a vitória de 3 a 1. Para construir o placar, o Bernô não só utilizou bem as armas que tinha, mas também aproveitou pontos fracos do Time Periçá.

O Quadro Tático desta semana observou a partida entre Remo e São Bernardo e explica os motivos pelos quais a equipe treinada por Marcelo Cabo saiu de campo derrotada na estreia da Terceirona.

Remo diferente

Para compreender o mau desempenho azulino é importante que os olhares sejam voltados ao comportamento defensivo. No duelo contra o São Bernardo, o Leão se defendeu num 4-4-2, com a primeira linha sendo composta pelos laterais mais os zagueiros, e a segunda marcação por Richard Franco, Uchôa, Pablo Roberto e Matheus Galdezani.

Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Este tipo de marcação, no entanto, não estava sendo adotado pelo Leão Azul no decorrer da temporada. Desde que Marcelo Cabo achou um “time ideal”, o Leão tem marcado numa espécie de 4-1-4-1. Uchôa, importante peça remista, fazia a função de “jogador entre linhas”, cobrindo os espaços gerados no meio das duas linhas de quatro.

A mudança, talvez por não estar 100% adaptada ao elenco azulino, não foi bem executada. Contra o Bernô, Uchôa costumava ficar um passo atrás dos demais jogadores que compunham a segunda linha de quatro. A marcação assimétrica deixava espaço entre as camadas de defesa azulinas, que foram bem aproveitados pelo time paulista.

Uchôa um passo atrás da linha de defesa do Remo (Divlgação/ DAZN)

Falta de compactação

O jogo entrelinhas foi a chave para o São Bernardo construir o resultado. Nos primeiros 15 minutos de jogo, quando a equipe de São Paulo fez bastante pressão e marcou o primeiro gol, quase todos os lances de perigo surgiram em jogadas criadas nesse precioso espaço gerado na entrada da área azulina.

As brechas na defesa foram originadas pela falta de compactação. A assimetria das linhas de marcação faziam com que elas não se juntassem. Assim, havia um “clarão” entre a zaga e o meio de campo, que foi amplamente explorado pelo Bernô. Os jogadores do Tigre que se destacaram atuando pelo setor foram Matheus Oliveira e Léo Jabá.

Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
Observe como Léo Jabá avança pela esquerda sem marcação. Além disso, percebe-se um grande “clarão” entre as linhas de defesa remistas (Divulgação/ DAZN)

Fragilidade do lado direito

Um dos pontos fracos remistas foi o lado direito da defesa. Para compreender isso, precisamos analisar como se comportava o Remo na “transição defensiva”, ou seja, no momento em que a equipe perdia a posse de bola e precisava se recompor.

A transição remista era baseada no reagrupamento, quando os jogadores não partem para a roubada de bola, mas sim procuram assumir as posições da formação defensiva (que no caso era o 4-4-2). No entanto, devido aos encaixes do período ofensivo, quem ficava responsável pela cobertura do lado direito não era o lateral Lucas Mendes, mas sim o zagueiro Diego Guerra. O camisa 3 do Leão não tinha a velocidade necessária para acompanhar os avanços do Bernô, sobretudo aqueles puxados por Léo Jabá. O terceiro gol, inclusive, saiu em falha no setor.

Momento ofensivo anulado

Nos 15 primeiros minutos, o Remo realizou a “transição ofensiva” – o momento em que a equipe ganha a posse de bola e precisa atacar – pelas laterais. No entanto, as jogadas não eram completadas por dois motivos: alta pressão pós-perda do São Bernardo e falta de compactação entre as linhas. Dessa forma, o Bernô facilmente roubava a posse, seja por extrema pressão em cima do jogador com a bola, ou por passes errados azulinos.

No decorrer do jogo, o Leão foi mudando a forma de transicionar, passando a atacar mais pelo meio. Nesses momentos, Pablo Roberto e Muriqui voltaram a se conectar, mas tinham jogadas geralmente interceptadas pela defesa do Tigre. Faltou uma maneira de “abrir” as linhas de marcação do Bernô para chegar ao gol.

Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:
Perceba a intensa pressão pós-perda da equipe do São Bernardo. (Divulgação/ DAZN)

Fonte: Esporte – OLiberal.com 

Deixe seu comentário

Facebook

Redes Socias

"

Últimas Notícias

Notícias2 semanas ago

Dupla é Presa em Belém Após Roubo de Carro e Sequestro Relâmpago

Na noite da última terça-feira, 14, a polícia prendeu uma dupla de assaltantes no início da avenida Augusto Montenegro, próximo...

Cultura1 mês ago

Barcarena promove Escuta Cultural para implementação da Política Nacional Aldir Blanc

A Prefeitura de Barcarena, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, realizou na manhã desta quinta-feira (18) a...

Notícias1 mês ago

Confissão de Suspeito Impulsiona Investigação e Pode Desmantelar Grupo Criminoso em Ananindeua

Uma recente operação policial em Ananindeua, Pará, desencadeou uma série de desenvolvimentos cruciais na investigação de uma organização criminosa atuante...

Destaque2 meses ago

Após 6 meses de guerra, Hamas pede desculpas aos palestinos

Em um gesto surpreendente após seis meses de conflito, o grupo militante Hamas emitiu um pedido de desculpas aos palestinos...

Destaque2 meses ago

Encontro na Amazônia: Lula e Macron protagonizam momento peculiar

Uma série de fotos do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva com o mandatário francês Emmanuel Macron na visita...

Notícias2 meses ago

Brasil tem quase dois casos por dia de exercício ilegal da medicina

O Brasil registrou quase dois casos por dia de exercício ilegal da medicina nos últimos 12 anos. Os dados foram...

Destaque2 meses ago

Ação sustentável no Hospital Regional em Marabá estimula o consumo consciente de papel

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, lançou na última quinta-feira, 21, o...

Destaque