Conecte-se conosco

Notícias

Aararajubas são soltas no Parque Estadual do Utinga

Publicado

Até pouco tempo considerada por instituições de pesquisa uma ave extinta nos arredores de Belém, com muito trabalho, estudo e dedicação, as ararajubas (Guaruba guarouba) estão de volta aos céus da capital paraense. Neste domingo, 7, um novo grupo de seis pássaros foi devolvido à natureza após meses de treinamento no Parque Estadual do Utinga “Camillo Vianna”. 
A iniciativa faz parte do Projeto de Reintrodução e Monitoramento de Ararajubas na Região Metropolitana de Belém, executado pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), em parceria com a Fundação Lymington de São Paulo. Até a soltura, as ararajubas levaram de cinco a seis meses para aprenderem a se alimentar com frutos nativos e a reconhecer possíveis predadores.Veja também;Pará que orgulha e transforma em defesa dos rios da AmazôniaUFRA atende 200 cães e gatos em ação para a comunidadeCobrir raízes de árvores com cimento é crime ambientalHá oito anos, a ação já devolveu mais de 45 ararajubas aos céus da Grande Belém. O local mais comum de se encontrar os pássaros é no Parque Estadual do Utinga, mas também é possível avistar em diferentes pontos da cidade, especialmente nas bordas de áreas verdes. Além da penugem, outra característica bastante evidente da espécie é a sua vocalização, devido ao som alto emitido que ecoa por longas distâncias. 
“Este momento da soltura das ararajubas é importantíssimo para nós. Aproveito a ocasião para agradecer a todos que contribuíram e contribuem para que esse projeto seja um sucesso. Belém ganha mais seis novas ararajubas, que vão povoar o nosso espaço aéreo, vão visitar as nossas florestas e, certamente, vão servir de encanto para as crianças, de admiração para os adultos e de exemplo de readaptação à natureza para todos nós”, ressaltou o presidente do Ideflor-Bio, Nilson Pinto.
ReparaçãoDe acordo com o biólogo da Fundação Lymington, Marcelo Villarta, o projeto representa a possibilidade de consertar um erro que foi cometido no passado pela humanidade, que foi extinguir uma espécie no ambiente que tem vários papéis importantes, sejam eles ecológicos, sociais e os valores intrínsecos da própria vida também. Ele ressalta que, com esse retorno à natureza, é possível restabelecer o bicho no lugar de forma que não aconteceria naturalmente. 

|

Texto Auxiliar: Alinhamento Texto Auxiliar: Link Externo: Alinhar à esquerda: Alinhar à direita: Alinhar ao centro: Fullscreen: Fullscreen Exit: Conteúdo Sensível:

  
“Tenho uma pequena sensação de dever cumprido, mas sempre enfatizo que o trabalho de reintrodução praticamente não tem fim, porque depois que a gente solta o bicho é que começa o trabalho de verdade. Monitorar, garantir que ele vai sobreviver… Portanto, esta é só uma etapa concluída de outras pela frente”, frisou o especialista. 
Marcelo ressalta, ainda, que o próximo passo depois de uma soltura é manter o cuidado das aves que foram soltas. “Temos que suplementá-las, fazer com que se mantenham por perto para que a gente consiga saber o que elas estão fazendo e por onde estão. Depois dessa etapa, receberemos mais um grupo de ararajubas para repetir esse processo de preparação, treino e soltura. Tudo isso para que o número dessa espécie continue aumentando aqui na região e não fique estável ou não diminua”, concluiu o biólogo.  

Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

|

Texto Auxiliar: Alinhamento Texto Auxiliar: Link Externo: Alinhar à esquerda: Alinhar à direita: Alinhar ao centro: Fullscreen: Fullscreen Exit: Conteúdo Sensível:

  
ContinuidadePara o diretor de Gestão da Biodiversidade do Ideflor-Bio, Crisomar Lobato, o projeto é considerado um verdadeiro sucesso e afirmou que já existe uma geração de ararajubas genuinamente paraense.  

|

Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Texto Auxiliar: Alinhamento Texto Auxiliar: Link Externo: Alinhar à esquerda: Alinhar à direita: Alinhar ao centro: Fullscreen: Fullscreen Exit: Conteúdo Sensível:

  
“Estamos prestes a completar oito anos de atividades e pretendemos estender os trabalhos por mais dois anos. Já podemos assegurar que há uma descendência gerada nas UCs do Ideflor-Bio na Região Metropolitana de Belém, ou seja, na Área de Proteção Ambiental (APA) da Ilha do Combu, na APA Belém, no quilombo do Abacatal, nas matas conservadas da Embrapa e das Universidades Federais do Pará (UFPA) e Rural da Amazônia (UFRA). Tudo isso nos ajuda a reintroduzir e monitorar essa espécie”, enfatizou o diretor.

Fonte: DOL – Diário Online – Portal de NotÍcias 

Deixe seu comentário
Advertisement
📢 Quer ficar por dentro das últimas notícias em primeira mão? Não perca tempo! Junte-se ao nosso canal no WhatsApp e esteja sempre informado. Clique no link abaixo para se inscrever agora mesmo:

Facebook

Redes Socias

"

Últimas Notícias

Destaque3 dias ago

Plenária Histórica no PT de Belém: Apoio Maciço à Pré-Candidatura de Edmilson Rodrigues à Prefeitura

Na capital paraense  o Partido dos Trabalhadores de Belém protagonizou na última segunda-feira uma plenária de proporções históricas. Reunindo cerca...

Política1 semana ago

Senador Beto Faro (PT-PA) Assume Liderança da Bancada do PT no Senado

Nesta quarta-feira (21/2), o senador Beto Faro, natural de Bujaru (PA), foi eleito para assumir o comando da bancada do...

Destaque1 semana ago

Prefeitura de Belém instala Sala de Situação do Controle e Combate à Dengue

A Prefeitura de Belém criou a Sala de Situação do Controle e Combate à Dengue, que foi instalada nesta quarta-feira, 21,...

Notícias1 mês ago

Inscrições para concurso de Marituba terminam segunda (29)

A Prefeitura de Marituba encerra, nesta segunda-feira (29), as inscrições para o concurso público que tem como objetivo a contratação...

Notícias1 mês ago

Morre Valdir Acatauassú, secretário-adjunto de obras do Pará

Morreu na manhã deste domingo (28), o secretário-adjunto de Obras Públicas do Pará (Seop), Valdir Parry Acatauassú, aos 59 anos....

Notícias1 mês ago

Ex-BBBs apoiam e defendem Davi do BBB24 nas redes sociais

O clima da casa do Big Brother Brasil de 2024 não está muito amigável, principalmente para o lado do participante...

Notícias1 mês ago

Angoulême 2024: destaques e vencedores revelados

Angoulême, França – Encerrando sua 51ª edição, o Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême premiou talentos excepcionais durante a cerimônia...

Destaque